Considerações sobre Moana:

20161202-mv5bzte0mdq5m2qtnjfkns00nzuxlwe3n2itn2njymq4zdc1m2vlxkeyxkfqcgdeqxvynje2mjqwnjc-_v1_

Fui assistir “Moana: Um Mar de Aventuras” e tô encantado. Seguem algumas considerações para vocês que ainda não assistiram (ou que já viram e tão xonados também!):

(Contém spoilers)

1. Trilha Sonora incrível: você vai sair com, pelo menos, essa música na cabeça. A versão brasileira de “How Far I’ll Go” (“Saber Quem Sou”) foi interpretada por Any Gabrielly, talentosa atriz de apenas 14 anos (!!!), que também deu voz à personagem principal.

Quando você menos esperar a música vai reaparecer no filme e você vai ficar com seus olhos cheios de lágrimas! hehe.

2. Mensagem de empoderamento feminino e representatividade: primeiro de tudo, Moana é girl power! É a primeira mulher a ter um espaço na torre de pedras que representa os “governantes” da ilha em que vive e durante o filme se mostra uma guerreira corajosa e decidida.

3bfd06_2e45d4c10eae4fedbc7bdb476c961d60mv2

No final do filme, Moana consegue devolver o “coração” perdido de Te Fiti (mãe terra), que havia se transformado em um demônio de lava, fazendo-a voltar a sua forma normal. Cê consegue captar a mensagem?

Ah! Moana também não tem príncipe encantado e isso nem faz falta no enredo, tá?

Sobre representatividade: a princesa é diferente das que a Disney costuma apresentar para o público! Isso é bom porque, cada vez mais, crianças conseguem se identificar com os personagens e conseguem se sentir incluídas e representadas.

Já pensou que lindeza poder levar sua filha (ou filho, né?) para o Carnaval com fantasia de Moana? <3

s_940905-mlb25076274703_092016-o

3. Hei-Hei, um dos melhores coadjuvantes de filmes EVER: o galo, que embarca sem querer com Moana em sua aventura, é uma das melhores coisas que já vi em filmes da Disney!

giphy

4. O curta metragem pré-filme: “Trabalho Interno” (Inner Workings) conta a história de um homem que não se permite curtir a vida devido à uma neura de que tudo o que ele gostaria de fazer pode o levar à morte. É uma forma exagerada de mostrar um conflito entre cérebro e coração.

O curta também é uma crítica pesada à pessoas que se dedicam 100% ao trabalho e não se permitem curtir a vida. Parece divertido, mas é bem pesado. Fiquei mal, real.

Se quiser saber mais sobre o filme, dá play no trailer e bom divertimento!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s