Um dia meio #girlpower.

carros-3-trailer_plugou_26-04-2017

Não ando muito bom com palavras, mas hoje o mundo audiovisual abriu um pouco mais meus olhos para uma coisa que está acontecendo e que a gente deveria dar mais suporte.

Hoje acordei lá pelas 10h da manhã e, como todo bom viciado em Game of Thrones, corri pra internet pra assistir a premiere da 7ª temporada que estreou ontem na televisão (e eu perdi porque estava cansado demais pós um dia de gravações pro meu novo clipe… já fica a dica).

Enfim, já nos primeiros minutos fiquei de cara:

Falando genericamente para quem não assiste a série também entender: Arya Stark, uma menina bem deslocada do padrão do que é ser feminina na série, se mostra super poderosa ao se vingar de um velho inimigo. Mais pra frente, Cersei Lannister nos mostra que sim, nesse momento, temos uma mulher governando os sete reinos. Um pouco adiante, Lyanna Mormont (menina de 10 anos que governa uma ilha), dá um esporro em um cara que disse ser um absurdo mulheres também participarem dos treinamentos de luta para enfrentarem os white walkers (seres sobrenaturais da série).

Lyanna Mormont frase episódio 1 temporada 7 Game of Thrones

Ok? Mais pro final do episódio, ainda vemos Daenerys Targaryen pronta para o combate com o objetivo de tomar os sete reinos para ela.

E de repente, uma série que era abarrotada de homens poderosos chega em um ponto em que as mulheres dominam. E assim meu dia começou já com muito #girlpower.

Meu dia seguiu normalmente e, agora de noite, fui assistir Carros 3. Com o tempo aprendi a lidar com animações e confesso que atualmente até fico animado com alguns lançamentos.

Resumindo a história do filme pra vocês: o super Relâmpago McQueen se vê em uma posição complicada quando novatos começam a ter um desempenho melhor que o seu nas corridas da Copa Pistão. O veterano parte para um centro de treinamento afim de melhorar suas habilidades e lá começa a ser testado por Cruz Ramirez, uma super treinadora que, na verdade, sempre teve o sonho de ser uma corredora mas nunca foi encorajada por amigos e família. O filme deixa bem claro que, para todos ao seu redor, ser mulher e participar de corridas era um absurdo tremendo.

Já pulando para o final, com um pouco de spoilers: depois de algum tempo afastado, McQueen faz seu retorno às pistas e, na metade da corrida, faz Cruz o substituir. Com o apoio do parceiro, a agora corredora consegue superar seus traumas e vence a corrida, ultrapassando assim Jackson Storm, revelação da nova temporada de corridas.

Um roteiro que dá aquele orgulhinho no peito, sabe? Ah! Tem também Natália Certeza, a maior especialista de corridas no filme (!!!!!!!), que no final mostra um interesse amoroso por Cruz na televisão durante a transmissão da rodada.

Pra fechar com chave de ouro: a dublagem de Natália ficou por conta de Fernanda Gentil, um dos maiores nomes do jornalismo esportivo brasileiro!

Para quem não sabe, no final de 2016, Fernanda contou para o mundo que estava namorando a também jornalista Priscila Montandon.

Você tá entendendo o que tá acontecendo aqui??

E assim terminou meu dia meio #girlpower, feliz.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s